ABSOLAR CRIA CANAL DE DENÚNCIAS CONTRA DISTRIBUIDORAS QUE DESCUMPREM REGRAS NA GERAÇÃO DISTRIBUÍDA

Compartilhe essa notícia

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) acaba de lançar um serviço para denunciar as distribuidoras de energia que descumprem as regras e dificultam o acesso do consumidor à geração distribuída. A entidade criou uma espécie de ouvidoria online, para que as empresas do setor possam relatar oficialmente os problemas encontrados com as concessionárias durante todo o processo de conexão dos clientes à rede local de distribuição de energia. O endereço do novo serviço da entidade é http://www.absolar.org.br/ouvidoria.  Segundo o levantamento exclusivo do Portal Solar, maior marketplace da cadeia de geração distribuída solar no País, os atrasos na homologação de sistemas fotovoltaicos em residências, comércios e indústrias já geraram prejuízos de R$ 200 milhões aos consumidores.

Para Bárbara Rubim, vice-presidente de Geração Distribuída da ABSOLAR, os abusos das distribuidoras de energia são uma verdadeira afronta à sociedade brasileira e precisam ser rigidamente punidos. “O panorama do consumidor no setor de energia foi de mal a pior: tarifas que dispararam em quase 500% em seis anos, bandeiras tarifárias muitas vezes vermelhas e um atendimento precário por parte das distribuidorasNa prática, o consumidor procura uma alternativa a essa realidade e encontra na geração distribuída uma solução capaz de fazer com que economize e, ainda por cima, ajude o País, com a criação de emprego e renda, e a ampliação da estabilidade para nossas precárias redes elétricas e para a matriz como um todo”.

Entre as queixas mais frequentes, estão atrasos na vistoria e homologação do sistema instalado – para muito além dos prazos estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), cobrança de valores excessivos nas obras para conexão à rede e exigência de documentos não autorizados pela Aneel. “Tratam-se de reclamações recorrentes no País, tanto de empresas de instalação quanto dos próprios consumidores”, avisa o presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR, Ronaldo Koloszuk“As distribuidoras de energia ainda não perceberam que os tempos mudaram e que os clientes não toleram mais serem mau atendidos”, .

Segundo Koloszuk, o setor de energia está atravessando um momento muito parecido com o que passou a área de telefonia há vinte anos. “Hoje, a telefonia evoluiu, é digital, o consumidor tem a liberdade de escolher de quem comprar o serviço e não está amarrado ao monopólio de uma empresa. O setor de energia trilha o mesmo caminho da telefonia e, por isso, é imprescindível que o cidadão esteja no centro da regulação e das decisões. “Hoje, se um cidadão faz uma reclamação perante à Anatel, a companhia telefônica presta esclarecimentos e corrige sua postura em questão de horas, porque sabe que as consequências são pesadas”. De acordo com o estudo, a distribuidora demora, em média, quatro meses para homologar cada instalação de sistema fotovoltaico de geração distribuída, período que deveria durar, no máximo, uma semana. Este atraso acarreta cobranças e impede que o consumidor possa utilizar os créditos de energia junto às concessionárias de energia.

 

Fonte: https://petronoticias.com.br/archives/123833

Compartilhe essa notícia

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Notícias Recentes